Notícias

EL PAÍS, Prémio Rei de Espanha de Jornalismo Digital

25-01-2017

O jornalista e escritor Arturo Pérez-Reverte, a escritora Carmen Posadas, Jordi Basté, EL PAÍS e jornalistas do Brasil, da Colômbia, de Cuba e do México foram galardoados esta terça-feira com os Prémios Rei de Espanha de Jornalismo. O jornal recebeu o Prémio de Jornalismo Digital pelo trabalho 40 anos do 20-N: a transformação de um país, publicado no elpais.com em novembro de 2015 e elaborado pela equipa de reportagens especiais. A entrega dos galardões está programada para a próxima primavera espanhola, num ato presidido pelos Reis de Espanha.

Nesta XXXIV edição dos galardões, organizados anualmente pela Agência EFE e pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional, Pérez-Reverte recebeu o Prémio Dom Quixote de Jornalismo por um artigo sobre o impacto da chegada massiva de imigrantes e refugiados à Europa, publicado na revista XL Semanal, no dia 13 de setembro de 2015.

O júri concedeu o Prémio Ibero-Americano de Jornalismo a Carmen Posadas pelo seu artigo Sonhar em Espanhol, publicado no dia 8 de agosto de 2016 e no qual a autora de origem espanhola e uruguaia faz uma defesa da língua castelhana num momento de grande crescimento do número de falantes de espanhol em todo o mundo.

O prémio na categoria de Rádio foi atribuído a Jordi Basté, diretor de El Mon na RAC1, o programa em catalão com maior audiência na Catalunha, pelo programa Atentados em Paris, emitido pela RAC1 no dia 13 de novembro de 2015. O Prémio de Jornalismo Digital foi concedido a Gregorio Rodríguez Ramos, em representação da equipa de reportagens especiais do jornal diário EL PAÍS.

O Prémio de Jornalismo Ambiental e Desenvolvimento Sustentável foi entregue à colombiana Patricia Gómez e à sua equipa pelo trabalho intitulado Chumbo: Veneno Invisível, emitido pela RCN Televisión no dia 15 de agosto de 2016.

O brasileiro Vinicius Jorge Carneiro Sassine recebeu o Prémio de Imprensa pelo seu trabalho Recusas da FAB impedem transplantes de 153 órgãos, do especial Saúde em Segundo Plano, publicado no jornal diário O Globo no dia 5 de junho de 2016. O galardão de Fotografia foi entregue ao cubano Yander Zamora pela fotografia Chegada do Air Force One, publicada em diversos jornais diários de tiragem internacional, em março de 2016. O Prémio de Televisão foi atribuído ao mexicano Carlos Loret de Mola pelo espaço Éxodo, de 50 minutos de duração, emitido no programa Despierta, da Televisa, no dia 25 de agosto de 2016.

Cada um dos galardões, patrocinados pelo grupo internacional de construção e concessões OHL, é composto por 6.000 euros e uma estatueta em bronze da autoria do artista Joaquín Vaquero Turcios. O Prémio de Jornalismo Ambiental é promovido pela Fundação Aquae, ao passo que o Prémio Dom Quixote de Jornalismo recebe 9.000 euros e uma escultura comemorativa, contando com o patrocínio da empresa pública espanhola Tragsa.

Os Prémios Internacionais de Jornalismo Rei de Espanha têm como objetivo reconhecer o trabalho dos profissionais do jornalismo de língua espanhola e portuguesa dos países que constituem a comunidade ibero-americana e das nações com as quais Espanha tem laços históricos.

Fonte: EL PAÍS

Regressar às notícias

Ir para o início da página