Notícias

O futuro das reformas em debate na V Jornada "Planos de Reforma em Espanha"

28-11-2019

El futuro de las pensiones, a debate en la V Jornada ‘Planes de Pensiones en España’
  • Whatsapp
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Google+

O jornal diário Cinco Días e a Ibercaja organizaram na passada terça-feira, dia 19 de novembro, a V edição da jornada "Planos de Reforma em Espanha: longevidade feliz, um desafio para a poupança a longo prazo".

No decurso do encontro, celebrado no Antigo Casino de Madrid, vários especialistas debateram o futuro das reformas, que se apresenta como um desafio para as próximas décadas.

Óscar Arce, diretor de Economia e Estatística do Banco de Espanha, explicou durante a sua intervenção na Jornada que o Banco de Espanha pede ao setor financeiro que potencie a poupança para a idade de reforma, uma vez que o setor tem uma "responsabilidade". Elaborando o seu argumento, Arce comentou que "existem circunstâncias favoráveis para que o setor financeiro desenvolva produtos financeiros responsáveis e competitivos e para que se comercializem adequadamente os conhecimentos dos clientes". Além disso, acrescentou que esses produtos têm de ser oferecidos em condições "competitivas e devem ser atrativos" para os agregados familiares, com o objetivo de transformar a "poupança habitação em ativos mais líquidos que nos permitam custear os gastos quotidianos".

Na Jornada, houve também intervenções de altos cargos do setor, como María Francisca Gómez Jover, subdiretora-geral de organização, estudos e previdência social complementar do Ministério da Economia e Empresas. No debate, no qual participaram também Rodrigo Galán, diretor do grupo financeiro da Ibercaja Banco, Óscar Arce, Pilar González de Frutos, presidente da Unespa, e Ángel Martínez-Aldama, presidente da Inverco, a subdiretora-geral sublinhou que, apesar de o aumento da esperança de vida ser uma boa notícia, é necessário fazer adaptações.

Os especialistas que participaram em todo o evento mostraram-se de acordo quanto à importância da poupança na hora de enfrentar a incerteza do futuro das pensões de reforma, que terá de ser "mais intensa e mais diversificada, tendo em conta que a poupança se tem dirigido, tradicionalmente, ao imobiliário e aos produtos de depósito", como afirmou Pilar González de Frutos.

No que diz respeito à reforma do sistema de pensões, o diretor executivo da Ibercaja Banco, Víctor Iglesias, afirmou que essa reforma "continua pendente e ainda não foi abordada com a profundidade que requer".

O encontro terminou com a conclusão de que se augura para breve uma reforma das pensões que exija "cedências" de trabalhadores e reformados, além de uma série de desafios que implicará mudanças ao sistema atual.

Regressar às notícias

Ir para o início da página