Notícias

As competências digitais e a transformação pessoal, protagonistas de ¡Grandes Profes! 2017

08-02-2017

Mais de 1500 professores de toda a Espanha assistiram em direto ao encontro ¡Grandes Profes! 2017, o evento educativo organizado pela SANTILLANA, pela Fundação ATRESMEDIA e pela SAMSUNG. O objetivo deste evento anual é inspirar e reconhecer o trabalho do docente na sala de aula. As competências digitais e a transformação pessoal são os temas que protagonizaram esta edição.

O evento dedicado aos professores volta a confirmar assim o seu grande sucesso também nas redes sociais. O hashtag #GrandesProfes tornou-se trending topic em Espanha nas primeiras horas da manhã e foi-se situando nas primeiras posições na lista de trending topics a nível mundial no Twitter ao longo da sua edição de 2017.

Conduzida pela jornalista e apresentadora do programa "La Sexta Noticias", Helena Resano, a gala ¡Grandes Profes! arrancou com as intervenções do diretor-geral da SANTILLANA, Javier Caso de los Cobos, do vice-presidente da ATRESMEDIA, Maurizio Carlotti, e do diretor de Comunicação, Relações Institucionais e Cidadania Empresarial da SAMSUNG, Francisco Hortigüela.

Javier Caso de los Cobos classificou os professores como a chave e o principal motor da transformação educativa. "Não percam a vossa identidade, a vossa maneira pessoal e passional de dar aulas. E recorram a todas as novidades, tanto a nível metodológico como digital, para criar o vosso próprio estilo de lecionar." Maurizio Carlotti destacou que, neste mundo hiperconectado, o papel do professor é mais decisivo do que nunca. "O importante é formular perguntas, não tanto dar respostas." Por último, Francisco Hortigüela sublinhou que, "com a tecnologia, as crianças desenvolvem melhor a criatividade e os dotes de comunicação e, além disso, ajuda-os a trabalhar em equipa".

Jorge Arévalo, vice-secretário de Formação Profissional do Governo Basco, centrou-se na importância de preparar os alunos com competências e aptidões adaptadas às necessidades do futuro mercado de trabalho. Arévalo assegurou que "muito mais importante do que a tecnologia é o desenvolvimento humano, as pessoas, e é aí que temos de incidir. Vamos precisar de pessoas muito bem preparadas para este novo futuro que nos vai levar a viver em ambientes complexos, com tecnologias muito avançadas". Destacou igualmente que "não basta valorizar a avaliação, é preciso sobretudo valorizar a evolução dos nossos alunos". "É preciso atrevermo-nos a mudar, é preciso atrevermo-nos a transformar, é preciso atrevermo-nos a errar para tentar melhorar o que estamos a fazer", declarou o vice-secretário.

Luis Martín, CEO da empresa de inovação Barrabes.Biz, forneceu diretrizes para se conseguir uma melhor adaptação a um mundo em mutação muito ligado à era digital. "É um grande risco tentar dar resposta a problemas novos com soluções antigas." Declarou também que, "hoje em dia, o poder está nos dados" e, dirigindo-se aos professores, concluiu que "o nosso futuro está nas mãos dos meninos e das meninas que vocês estão a educar e não há sombra de dúvida de que será um futuro brilhante".

Chegou depois a altura da mesa redonda subordinada ao tema "competências digitais ao serviço do ensino e da aprendizagem", moderada por Carlos Magro, especialista em estratégia digital no setor educativo e criador de co.labora.red. Na mesa redonda, os convidados Dolors Reig, psicóloga social e professora especializada em redes sociais e inovação, Mago More, especialista na aplicação da Realidade Aumentada e da Realidade Virtual, e David Calle, engenheiro e professor YouTuber (o único finalista espanhol do Global Teacher Prize 2017), analisaram as chaves para enfrentar a inclusão e desenvolvimento das competências digitais na formação de alunos e professores.

Todos debateram sobre a utilidade das TIC e das redes sociais como ferramentas ao serviço do ensino. Para Dolors Reig, a "colaboração e a proatividade são a chave. Os professores de hoje em dia precisam de mais trabalho em rede". David Calle defendeu "tratar os alunos como se fossem adultos, como iguais, de modo a relacionarmo-nos melhor com eles". Por sua vez, para Mago, é preciso "levar a educação a todos os espaços do corpo discente: ao recreio, onde passam os seus tempos livres, e às suas paixões, como as redes sociais". Todos eles afirmaram também que as novas tecnologias contribuem para personalizar a aprendizagem e que é crucial "proporcionar um contexto sólido em que essas novas tecnologias façam sentido", como apontou Reig. Terminaram com a necessidade de fazer das aulas um lugar mais flexível e em que cada aluno possa seguir o seu próprio ritmo.

O toque de humor foi dado pelo comediante Dani Delacámara que, com as suas traquinices de infância, conquistou as gargalhadas dos presentes, e que ainda partilhou a sua experiência pessoal: "Esta é a primeira vez que os professores se riem com as minhas piadas." E com esta graçola se encerrou este bloco dedicado às competências digitais na educação.

Tal como em edições anteriores, o encontro contou com a secção "Grandes Profes cuida dos seus professores". A master class que deu início à parte de transformação pessoal do encontro foi dada pelo monge budista Thubten Wangchen. Discípulo do Dalai Lama e fundador da Casa do Tibete em Barcelona, pôs em prática com os presentes diversas técnicas de relaxamento da mente e de consciência plena (mindfulness). Para Wangchen, "a felicidade não cai do céu, é preciso cultivá-la todos os dias, é preciso tentar viver em paz, em amor, ser mais simpático e mais alegre". Afirmou que o conhecimento não tem limites e que todos podemos continuar a aprender ao longo da vida. E concluiu: "Continuem a transmitir a vossa sabedoria às crianças e façam por ser boas pessoas, de bom coração, ajudem os outros no que vos for possível e, se não puderem ajudar, então não façam mal a ninguém. É essa a essência de tudo."

O remate final ficou a cargo do prestigioso violinista Ara Malikian que, com base na sua experiência pessoal, falou sobre a capacidade que todos temos de fazer frente a situações difíceis e emocionou os presentes com várias peças musicais para violino, especialmente a que dedicou ao seu filho. Na sua intervenção, intitulada "Só Sei que Nada Sei", Malikian afirmou que "a profissão de professor é a mais bonita do mundo, a mais importante, a mais difícil e a que implica mais responsabilidade, vocês são o nosso futuro na sociedade. Há que ser professor de dia e de noite". E insistiu que "o importante é que cada um decida o que aprender com cada professor".

Regressar às notícias

Ir para o início da página